segunda-feira, 8 de julho de 2013

CRIANÇAS



CRIANÇAS


Pai, mãe, ser humano,
procura no fundo da caixa de brinquedos
da tua infância,
no profundo rio da tua memória,
o desejo, o sonho
e a ilusão que te foi mais querida
e volta a divertir-te,
a apaixonar-te
e a acreditar que podes voar
na tua inocência de pássaro azul,
livre como as asas do céu.

Monta o triciclo,
a bicicleta,
o cavalinho do carrosel,
ou o pequenino barco
que te embala no leito do rio Tejo,
e deixa-te levar,
alegre,
no vento suave
e na correnteza das recordações.

Deita a tua cabeça mansa e tranquila
na almofada macia e carinhosa
do colo dos teus pais
e dorme e sonha,
protegido pelos braços felizes do Amor.

Se por acaso conseguires,
por um breve momento que seja,
voltar ao templo da infância,
verás que a criança é a verdadeira fé
e oração da vida.
Descobrirás que o teu filho
é a mesma criança que já foste,
o futuro pintado a aguarelas
no rosto do teu velho mundo.

Por isso, jamais esqueças,
ama as crianças,
porque elas são o princípio de tudo.
Elas são o que semeaste
e a colheita dos teus sentimentos.

Luta por elas,
dedica-lhes a tua coragem,
as tuas lágrimas
e o teu sangue,
como se fosse a última coisa que fizesses na vida.

Ama-as,
porque só elas são,
verdadeiramente,
a razão do teu AMOR!


                                            Chamusca, 04/07/2012