segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

AFINAL OS EXTRATERRESTRES EXISTEM



O texto que se segue foi escrito durante a minha actividade como jornalista e director da Revista “Chamusca Nova” e publicado no seu editorial de Novembro de 1997.

        Passados 16 anos, continuo a pensar da mesma forma: A MENSAGEM E OS SENTIMENTOS DO NATAL DEVIAM SER PRATICADOS TODOS OS DIAS! COM MAIS AMIZADE, SOLIDARIEDADE E AMOR!




domingo, 15 de dezembro de 2013

VIVE!

Disseste-me que a vida é tão veloz,
quanto uma bala a ferir o tempo
e a atingir o coração.

Que sonhavas tornar-te um espírito
e num disparo de asas
defender-te do medo
com as penas,
leves,
da ilusão.

E vivias a fugir
como uma borboleta do bico do pássaro,
um pardal das garras do milhafre,
uma águia da espingarda do caçador,
porque as asas são um voo inútil
no perigoso inferno do céu.

Talvez se quisesses ser apenas um homem,
com o coração pesado de Amor,
a terra te fosse mais leve.
É que apesar da morte das lágrimas,
podemos sempre ter esperança
no nascimento feliz de um sorriso
ou do embrião da felicidade.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

ESPANTALHO

«O amor só atrapalha!»
Gritaste-me com os olhos
arrancados de lágrimas.
E eu fiquei ali,
especado e calado,
como um espantalho
na paisagem fria da cozinha,
espantado pelo teu bater
de asas desesperado
e pelo meu coração de palha
morto no peito.

Podia ser humano
e dizer que te amava,
ou que já não,
usando o consolo da mentira
ou o tiro mortal da verdade.
Mas não sabia o que dizer-te,
tão pouco sabia dizer-te o que sentia.

Estava ali vestindo de homem
os sentimentos empalhados,
como um mero espantalho
onde apenas os pássaros
pousam a alma,
num silêncio cruel,
 de bico quebrado
e sem um pio de amor.