quarta-feira, 25 de setembro de 2013

ENQUANTO A VILA DORME

ENQUANTO A VILA DORME



Enquanto a Vila dorme,
sento o coração na cadeira 
de baloiço da varanda,
ouvindo o concerto afinado dos galos
despertando a música da manhã.

As luzes são somente estrelas 

iluminando o céu das ruas
e a noite um lençol de sombras
cobrindo o corpo fresco da lezíria.

Cheira a feno,

ao cabelo húmido da erva
e às flores que abrem,
lentamente,
as pétalas perfumadas do olhar

A Vila,

tem uma caneta na mão
e descreve o início do dia
com os sentimentos serenos de paixão.

           Com agradecimento ao Victor Gago pela sua excelente fotografia.
           Chamusca, 25/06/2013, 06:15 horas.