domingo, 23 de junho de 2013

A PAISAGEM DO AMOR






  • Quis escrever
    o mais belo poema para ti.
    E tudo era propício.
    O areal era um caminho de sol
    onde os meus pés
    deixavam rastos de calor.
    O céu,
    como um enorme pingo de tinta,
    tingira o Tejo
    onde as crianças mergulhavam
    os corpos azuis de alegria.
    O vento despenteava os salgueiros
    com o sopro dos lábios verdes
    e a passarada voava
    como folhas soltas pela brisa.

    Quis escrever
    o mais belo poema para ti,
    mas desisti dessa intenção.
    Para quê fazê-lo?
    Se a maior beleza da paisagem
    era o teu Amor à beira de água,
    simples
     e tranquilo,
    como um barco dentro de mim.