sexta-feira, 5 de outubro de 2012

"É URGENTE O AMOR"

“É URGENTE O AMOR”




        Cada vez estamos mais sós, desencantados e desesperados por obter uma côdea de atenção, carinho e ternura.
        Chega a ser estúpido, penoso, digno de dó e piedade ver morrer por (des)Amor. O (des)Amor mata mais do que qualquer sida, guerra ou doença coronária.

Livro É Tão Fácil Morrer – Junho de 2008


        Transcorridos cinco anos e meio sobre a minha entrevista, transmitida no telejornal da RTP Açores, as mensagens veiculadas quer no vídeo, quer no texto que deu origem à reportagem, mostram-se cada vez mais actuais.
         É urgente continuar a escrever, a lutar e a preserverar pela sobrevivência do Amor, um sentimento em vias de extinção.